main menu
Home Testimonial About Services Services Services Contact

Bem Vindo ao PraiaRio.com

Aviso Legal

Os resultados apresentados são resultados de investigação, e têm caráter de divulgação científica e informação, sem o compromisso nem responsabilidade de garantir a qualidade de qualquer uma das praias estudadas. São apresentados dados históricos, sem a pretensão de previsão de condições futuras.

O banho em qualquer local é de responsabilidade do próprio banhista.

Acesse o Mapa de Balneabilidade

Informações

Aqui nós disponibilizamos os dados de nossa pesquisa sobre a qualidade sanitária e balneabilidade de 60 praias no litoral do Rio de Janeiro e Niterói, baseado em amostras coletadas e analisadas pelo Instituto Estadual do Ambiente – INEA. Os dados foram organizados por praia, e o último laudo disponível pode ser facilmente localizado no site do instituto no setor de monitoramento praias do estado do Rio de Janeiro.

Ainda, uma perspectiva histórica (2014-2016) de cada praia é apresentada. Esperamos que esse site seja uma útil alternativa e fonte de informação para os cariocas, residentes e turistas, pois é baseada em informações de qualidade sobre as condições sanitárias das praias do Rio de Janeiro.

Sobre Nós

O Laboratório de Hidrobiologia foi criado em 1995, a partir do Laboratório de Avaliação Ambiental e do legado da Professora Letícia M. Mayr. Nossa missão é estudar a qualidade das águas em diversos ambientes como a Baía de Guanabara, Baía da Ilha Grande, Oceano Atlântico e rios do Brasil.

Outra importante missão é funcionar como uma central analítica ou laboratório multiusuário de análises químicas e microbiológicas de água. Para nos conhecer um pouco melhor conheça a nossa Equipe.

Balneabilidade

O que é baneabilidade ?

Balneabilidade é a qualidade das águas destinadas à recreação de contato primário, ou seja, a capacidade que um local tem de possibilitar o banho e as atividades esportivas em suas águas.

A avaliação dos padrões de balneabilidade, em geral, é baseada nos coliformes fecais ou coliformes termotolerantes (CF) e Enterococcus (ENT) que, apesar de não patogênicos, são encontrados em grandes quantidades nas fezes humanas, e ainda são mais resistentes que outros microrganismos, e são facilmente detectados.

São, portanto, considerados bons indicadores para a poluição por esgotos domésticos, e muitos países os utilizam para essa finalidade.

Como a Balneabilidade é avaliada ?

Segundo os critérios estabelecidos na Resolução 274/00 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), as praias são classificadas em relação à balneabilidade, em 2 categorias: Própria e Imprópria sendo que a primeira reúne 3 categorias distintas: Excelente, Muito Boa e Satisfatória.

Essa classificação é feita de acordo com a quantidade de bactérias fecais encontradas nas amostras.

Foram utilizados dados sobre a qualidade sanitária coletadas e analisadas pelo Instituto Estadual do Ambiente – INEA. Amostras foram coletadas semanalmente em até 60 praias do litoral do Rio de Janeiro, Niterói e na Baía de Guanabara.

As amostras foram analisadas pelos métodos padronizados e aceitos internacionalmente, como o SM9221E2 para Coliformes fecais e o SM9230 para os Enterococcus, ambos publicados pela American Public Health Association – APHA (2012). Os resultados dos laudos (% de própria ou imprópria) foram extraídos manualmente dos boletins disponíveis no site do INEA.

Os dados foram organizados por praia, e o último laudo disponível pode ser facilmente na seção de balneabilidade no site do INEA

O Que Significam Seus Resultados

Uma praia considerada “Própria” necessita apresentar, no máximo, 1000 coliformes termotolerantes em 80 % de um conjunto de amostras obtidas em cada uma das cinco semanas anteriores, colhidas no mesmo local. Quanto menor o número de coliformes, mais bem classificada ela se torna (satisfatória, muito boa e excelente, o que não é detalhado no boletim do INEA).

Uma praia é considerada “Imprópria” quando no trecho avaliado é verificada uma das seguintes ocorrências:

  • Não atendimento aos critérios estabelecidos para as águas próprias;
  • Valor obtido na última amostragem for superior a 250 coliformes termotolerantes ou 200 Escherichia coli ou 25 enterococos por 100 mililitros;
  • Incidência elevada ou anormal, na Região, de enfermidades transmissíveis por via hídrica, indicada pelas autoridades sanitárias ;
  • Presença de resíduos ou despejos, sólidos ou líquidos, inclusive esgotos sanitários, óleos, graxas e outras substâncias, capazes de oferecer riscos à saúde ou tornar desagradável a recreação;
  • Floração de algas ou outros organismos, até que se comprove que não oferecem riscos à saúde humana;
  • Outros fatores que contra-indiquem, temporária ou permanentemente, o exercício da recreação de contato primário.

Contato

Laboratório de Hidrobiologia - Instituto de Biologia - Universidade Federal do Rio de Janeiro

Rua Professor Rodolpho Rocco, Prédio do CCS, Bloco A, Sala A1-71 - Rio de Janeiro - RJ

Tel: +55 21 3938 6303 | Email: contato@praiario.com